Notícia

ESTUDO EXPÕE DIFERENÇA DE SALÁRIOS ENTRE NEGROS E BRANCOS EM ONGS

Uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de ONGs (Organizações Não Governamentais -Abong) mostra discrepâncias entre a remuneração e cargos ocupados por negros e brancos nas organizações da sociedade civil.

Segundo o levantamento, em 2019 as pessoas negras ganharam em média 27% menos que as brancas nas ONGs.

Os dados são baseados em informações da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério da Economia, no período de 2015 a 2019, apurados nas 27 capitais brasileiras.

A faixa de remuneração média nas ONGs é a de meio a três salários mínimos. De acordo com o estudo, enquanto os homens brancos têm a maior participação na faixa dos salários mais altos (mais de 20 salários mínimos), os negros são a maioria nas faixas que representam os menores salários.

Percentuais
Na função de diretor, em 2019, 59,25% das pessoas eram brancas, e 25,07%, negras. Nas gerências, 59,27% eram brancas, e 27,60%, negras.

Athayde Motta, da diretoria executiva da Abong ressalta a importância de chamar todos os outros setores de organizações da sociedade civil, movimentos sociais e sindicatos a se juntarem nesta causa para debater esse problema e encontrar soluções.

Segundo ela, a pauta, efetivamente, é reconhecer que os setores, que atuam primariamente, principalmente, na promoção da igualdade e da inclusão, não são impermeáveis ao racismo estrutural da sociedade brasileira.

Ela diz – A gente está falando de algo que é uma disputa de poder instalada na sociedade brasileira desde sempre e que não vai sumir rapidamente.

Envie sua mensagem Ouvinte Bianca FM